sábado, 5 de março de 2011

não ser


tenho me seguido
feito sombra do meio-dia
e não me alcanço
quando canso

pauso
.
.
.
no parapeito do mundo

intrincada e distante
adentro noite-lua
um tanto pranto
outro crua
enquanto me busco
me desencontro
no encontro
com o medo que tenho
dessa vontade de morrer
Nercy Luiza Barbosa

2 comentários:

Kevin Crystopher disse...

Estranho, quando tentamos nos definir fica sempre os três pontinhos, quem realmente sou? Queremos preencher nossas lacunas para ver se o que as pessoas chamam de sentimento, solidão, que por mim é algo que só faz mau, estamos sempre buscando que o coração seja completo, sempre terá um vazio, pois o homem sempre está a sua busca incondicional.

Nercy Luiza disse...

É isso mesmo, meu amigo. Essa busca nos acompanha enquanto respirarmos. Beijos.